terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Maior jornal do Brasil processa blog independente e inaugura um novo tipo de censura

Ação inédita na Justiça está sendo boicotada pela mídia brasileira, que é dominada por poucas famílias, e abre um precedente terrível para todos os blogueiros do país


A exemplo do que aconteceu na eleição do Obama e em outros pleitos na Europa, na recente disputa presidencial brasileira, que terminou com a eleição da candidata de Lula (Dilma Roussef), a internet teve peso inédito na campanha eleitoral. A atuação de centenas de blogs foi especialmente importante porque, em sua maioria, eles apoiaram a candidata de esquerda (Dilma) e, por outro lado, praticamente toda a mídia convencional (rádio, TVs, jornais e revistas) defendeu fortemente o candidato de oposição, José Serra, que formou uma poderosa coalização política-midiática-religiosa conservadora — que acabou derrotada. A importância da Internet ficou óbvia no último dia 24 de novembro, quando Lula concedeu a primeira entrevista de um presidente brasileiro exclusiva para blogueiros. Foi um claro reconhecimento à sua importância e ao contraponto que eles fizeram à mídia tradicional.

Em meio a esse cenário, surgiu em setembro um blog chamado Falha de S.Paulo, uma paródia ao maior jornal brasileiro, a Folha de S.Paulo. Em português, “Folha” é uma das formas de referir-se a um jornal. E “Falha” significa falha. Era um blog recheado de fotomontagens, brincadeiras e críticas ácidas ao noticiário da Folha. Eram críticas sempre bem-humoradas, porém duras. Para se ter uma ideia, uma das montagens de maior sucesso (e mais irônica) punha o rosto do dono do jornal, Otavio Frias Filho, no corpo de Darth Vader. Pois bem: após um mês no ar o jornal entrou na Justiça para censurar o blog. Pior: conseguiu. Ainda pior: além de conseguir cassar o endereço, a Folha abriu um processo de 88 páginas contra os criadores do site, pedindo indenização em dinheiro por danos morais.

O jornal alega “uso indevido de marca”, por causa da semelhança entre os nomes Folha e Falha e porque o logotipo do site era inspirado no do jornal. A paródia foi criada por dois irmãos (Lino e Mário Ito Bocchini) que não têm ligação com nenhum partido político ou qualquer outra entidade. São duas pessoas “avulsas”, o primeiro jornalista e o segundo, designer. E agora os irmãos estão tendo uma dificuldade brutal (e gastando bastante dinheiro) para se defender na Justiça de uma ação volumosa do maior jornal do país. E a previsão dos advogados e professores de direito ouvidos pela dupla é a de que a Folha deve ganhar a ação, mais por ser uma companhia grande e poderosa e menos pelo mérito da questão em si.


Aqui entra o motivo pelo qual os irmãos Bocchini resolveram levar a questão para além das fronteiras do país: no Brasil, menos de 10 famílias dominam os grandes meios de comunicação. E uma dessas famílias é justamente a Frias, que ficou incomodada com a Falha de S.Paulo e suas brincadeiras como a do Darth Vader. Por corporativismo, nunca um órgão de uma família noticia algo relacionado à outra. É uma espécie de tradição brasileira. A censura de um blog, ainda mais seguida de um pedido de indenização, é uma ação judicial inédita no Brasil. Por conta disso, os irmãos Bocchini estão sendo chamados a diversos eventos de comunicação, convidados a dar palestras etc. Estão recebendo muita solidariedade de blogueiros e ativistas por liberdade de expressão de todo país, e figuras públicas como o ex-ministro Gilberto Gil gravaram depoimentos condenando a censura e o processo da Folha. Mesmo assim jornais rádios, TVs e revistas seguem ignorando completamente o assunto.

A preocupação geral é que, se o jornal ganhar essa ação inédita (como tudo indica que vá acontecer), um recado claro estará dado às demais grandes corporações brasileiras, sejam de comunicação ou não: se alguém incomodar você na Internet, invente uma desculpa como essa do “uso indevido de marca”. A Justiça irá tirar o site do ar e ainda lhe conseguir uma indenização em dinheiro. Ou seja, está nascendo um novo tipo de censura em nosso país, justamente pelas mãos de quem vive da liberdade de expressão. E não estamos conseguindo furar o bloqueio da mídia convencional, dominada pelas tais poucas famílias que já dissemos. Por isso só nos resta agora apelar para o exterior.


O novo site dos irmãos Bocchini, o www.desculpeanossafalha.com.br tem todos os detalhes da censura. Os posts são em português, mas lá você confere esse texto em inglês, francês ou espanhol. E pode escrever em qualquer uma dessas línguas para desculpeanossafalha@gmail.com

Texto: divulgação

http://desculpeanossafalha.com.br/divulgue/

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Coração tricolor de volta a elite!!!


Seja bem vinda nação tricolor de aço de volta a elite do futebol brasileiro, espero que desta vez o time honre a sua torcida, pois não é todo time que tem uma torcida apaixonada como essa...

Simbora Baêhaaaaaaaaaaaaaaaaaaa!!!!

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Mais 1 Tubo de Ensaio ...

Venha a mais uma edição neste domingo.

E agora você pode acompanhar a evolução do Projeto Tubo de Ensaio através do site

http://eunotubodeensaio.blogspot.com/

Tubo de Ensaio, lugar de misturar e se divertir!

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Bom Dilma ! ! !

Bom Dilma à todos! ! !
Estamos juntos nessa.

Brasil pra frente,vamos seguir em frente. Pois, a tarefa é difícil...dificílima!

Abraços e...

Eu tô voltando!

terça-feira, 12 de outubro de 2010

Diário de um guerrilheiro

A guerra só acaba quando o propósito acaba, somos seres conflitantes, uns mais complexos que outros, e é nesse sentido que respeito o ódio, aceito o amor e desprezo o medo, por algum momento senti medo por cogitar em algum momento lhe perder, mas descobri que isto é algo praticamente impossível de acontecer, pois você é parte daquilo que eu sou, e por isto lhe agradeço por me construir, resgatar, apoiar e dedicar parte de você para mim.


Sempre precisei de um propósito pra me sentir vivo, por isto procurei acreditar em algo sobre humano que emanasse de dentro para fora e contagiasse a todos ao meu redor, por este motivo sempre evitei a omissão procurando encontrar com a razão dobrando a esquina para que ela colocasse um fim na minha missão.

Depois de perceber o que era inevitável, tentei retroceder, mas não tive como fazer, pois o meu código de conduta me impede de recuar, não posso simplesmente parar e ir de encontro ao destino pegando um único atalho para me sentir tranqüilo, e deixar de viver as etapas que me são trilhadas. Gostaria de lhe dar tudo aquilo que não tenho, que não possuo, ou até mesmo o que pretendo ter, mas não posso mais trancafiar isto comigo, pois sou obrigado a sair do meu exílio, por não poder me omitir quando certeza tenho e desprezo o medo daquilo que sinto, sou e me permito ser. Pois acredito que o Pathos (emoção) do qual tanto fugi me encontrou lá na esquina pra me acertar a alma, me fazendo prisioneiro do meu próprio querer. Não posso me esconder, pois tenho uma missão, que apesar de não acreditar mais na função dela, dependo disto pra sobreviver; não gostaria de sentir o que sinto agora, queria apenas me libertar deste ethos (autoridade), mas a única forma que encontrei de fazer isto é não produzir mais os monstros com o sono do logos (razão), pois eles alimentam uma força maior que desarmoniza o meu ser, do que fui antes, do que sou agora e daquilo que nunca vou ser, Entendo que para acabar com a minha missão, não é necessário completar todas as etapas dela, mas somente dormir, pois só encontrando com Morpheus (Deus do sono), é que encontrarei a paz para por fim a uma guerra que acontece dentro de mim, sendo que a guerra que encontro do lado de fora e combato vorazmente, é a única forma que tenho de manter o meu propósito diante do medo que encontro na face de todos que tem como único propósito a si mesmo.

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Notícia camuflada...

A Rede Globo mais uma vez manipulando a opinião pública, e ainda reivindicando a liberdade de imprensa para evocar os seus próprios interesses dizendo que é a manifestação da liberdade de expressão da população brasileira, tentando confundir e persuadir o povo através da informação deturpada, inverídica e viciada. Se já não bastava nas eleições de 1989 a Rede Globo manipular o debate político a favor do candidato Fernando Collor contra o Lula, agora mais uma vez se repete a cena nas entrelinhas das suas reportagens políticas nas eleições 2010.

Não sou a favor de candidatos A ou B, mas deixe o povo decidir sem maquiagens e falsos noticiários. Vejam as duas matérias que foram para o ar no dia 5 de outubro, logo após o primeiro turno da eleição presidencial, o assunto é o mesmo, mas as edições mostram as relações tendenciosas da Rede Globo em esconder os fatos, comparem e analisem:

Assim foi dada a notícia na Rede Record:

video

Já na Globo a mesma notícia foi dada desse jeito:

video

PROJETO CURSOS LIVRES 2010 / Cedic-BA


História e historiografia da África Contemporânea


A Fundação Clemente Mariani através do Cedic-BA promove a 5ª Edição dos Cursos Livres 2010, cujo tema é: História e historiografia da África Contemporânea, a ser ministrado pelo Professor Marcelo Bittencourt. A proposta do projeto está relacionada com as atividades científicas na área de Ciências Humanas, que busca difundir a sua produção entre a comunidade acadêmica. Maiores informações no telefone (71) 3243-2666.

INSCRIÇÃO: de 4 de outubro a 15 de outubro de 2010.

LOCAL: Rua Miguel Calmon, nº. 398 - Comércio.

TEL: (71) 3243-2666

CURSO: História e historiografia da África Contemporânea

PALESTRANTE: Marcelo Bittencourt da Universidade Federal Fluminense

DATA: 18 a 22 de outubro

HORÁRIO: 14:00 às 18:00

INVESTIMENTO: R$ 30,00

PRODUÇÃO: Fundação Clemente Mariani e Cedic-BA

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Cinema Nacional - Lamarca (Download)


DIREÇÃO: SÉRGIO REZENDE
GÊNERO:
DRAMA
ÁUDIO: PORTUGUÊS
LEGENDA: S/L
TAMANHO: 421MB
FORMATO: RMVB


Crônica dos últimos anos na vida do capitão do exército Carlos Lamarca (Paulo Betti) que, nos anos da ditadura, desertou das forças armadas, e passou a fazer oposição, tornando-se um dos mais destacados líderes da luta armada.

Download

MEGAUPLOAD

Cinema Nacional (Documental) Download

O Prisioneiro da Grade de Ferro é um documentário que retrata a realidade do sistema carcerário brasileiro em um momento em que suas contradições se exacerbam, beirando limites da aceitabilidade. Governos aplicam montantes recordes de recursos em infra-estrutura, alteram legislações e buscam parcerias e novas mentalidades de ação penal. Hoje, já não basta excluir delinqüentes da sociedade. Urge rever o próprio conceito de encarceramento como forma de recuperação do cidadão e prevenção do crime. Apesar de todos os esforços para melhorar a situação do sistema penitenciário, esta situação continua a se agravar. Conhecer como o homem preso cumpre sua pena é o objetivo deste documentário, que se aprofunda no convívio cotidiano para entender a real influência da instituição repressora sobre a pessoa detida. Um ano antes da desativação da Casa de Detenção do Carandiru, detentos aprendem a utilizar câmeras de vídeo e documentam o cotidiano do maior presídio da América Latina.


Download do filme:

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

CASOY MOVE AÇÃO CRIMINAL POR ARTIGO SOBRE O EPISÓDIO DOS GARIS

Desde o último dia 17, estou sendo processado por Boris Casoy no Juizado Especial Criminal da Barra Funda (SP), por calúnia ou injúria, em razão do meu artigo de resposta aos gracejos com que ele depreciou os garis. Quem me defende é o Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo, sempre coerente com suas gloriosas tradições.

Mais do que calar um articulista virtual e blogueiro, Casoy ameaça restringir a própria liberdade de opinião na internet, já que uma sentença a ele favorável abriria precedente para uma enxurrada de questionamentos judiciais a quem ousasse criticar figuras públicas.

Carecendo a ação de substância, eu tinha a esperança de que ele desistisse na audiência de conciliação; ou que juiz e promotor lhe fizessem ver quão descabida era sua pretensão.

Como nada disso ocorreu, serei obrigado a enfrentar mais um desafio, algo patético, pois estamos ambos na idade em que guerreiros costumam repousar.

Enfim, mesmo com os anos começando a me pesar, ainda não me resignei a travar minhas lutas através de terceiros, nos tribunais. Estes são e sempre serão palcos secundários para mim.

Como militante humanitário e como jornalista, é ao julgamento da cidadania que me submeto, em primeiro lugar; e nunca tomo a iniciativa de procurar outros.

OS DOIS EXTREMOS DA ESCALA DO TRABALHO

Tudo começou quando, no dia 04/01/2010, assumi a defesa dos garis que, "do alto de suas vassouras", haviam ousado enviar suas saudações de Ano Novo aos brasileiros, esquecidos de que seus votos partiam de quem estava no "ponto mais baixo da escala de trabalho" e sempre haveria alguém situado no topo dessa escala para devolvê-los à sua insignificância. Lancei este artigo.

Não foi a primeira, nem será a última vez em que me coloco ao lado dos fracos, quando espezinhados pelos poderosos; faço isto sistematicamente desde que, aos 16 anos, dei meus primeiros passos no movimento estudantil, indignado com o arbítrio ditatorial. A solidariedade para com os humildes e os excluídos inspirou minhas atitudes ao longo de toda a existência adulta.

Ocorre que esse meu texto inicial motivou um site a desencavar, fotografar e espalhar por toda a web uma reportagem da revista O Cruzeiro, de novembro/1968, na qual Casoy era citado; e um respeitado articulista da internet postou, como comentário no meu blogue, um relato sobre ocorrências por ele presenciadas no clube A Hebraica.

Como esses dois desdobramentos haviam sido suscitados por meu artigo, resolvi nele incorporá-los, mantendo o título e a redação originais, salvo num trecho: o parágrafo 12 foi substituído por seis outros (do 12º ao 17º). Além disto, acrescentei um intertítulo, no espírito das novas informações trazidas.

E atualizei, logo na abertura, o número de vezes em que os vídeos com as afirmações do Casoy sobre os garis haviam sido vistos no Youtube: o total crescera de cerca de 850 mil hits para 2,5 milhões de hits.

Lancei a 2ª versão, revista e ampliada, na noite do dia seguinte. Em alguns espaços virtuais simplesmente a 1ª versão foi tirada do ar, substituída pela 2ª. Outros, que não tinham dado a 1ª, publicaram só a 2ª.

E houve até um jornal eletrônico do interior paulista que, por já haver publicado o artigo da 1ª vez, deixou de fora os trechos repetidos e aproveitou só o que havia sido alterado, usando o intertítulo como se fosse título.

É POR ESTA VERSÃO INCOMPLETA DO ARTIGO QUE CASOY ME ACIONA, DE PREFERÊNCIA ÀS DEZENAS DE VERSÕES COMPLETAS AINDA ENCONTRADAS NA WEB!

No entanto, em plena audiência ele se queixou de que eu evocara toda sua carreira jornalística de forma negativa, candidamente revelando que conhecia, sim, a versão integral...

SAMBA DO CRIOULO DOIDO

O ridículo chega a ponto de a queixa omitir que a edição do texto que embasa a acusação foi tão confusa a ponto de constarem, no final, vários RECADOS PESSOAIS que eu mandei ao editor do jornal (!!!). Vide aqui.

Em função desse verdadeiro samba do crioulo doido, Casoy me quer ver preso!

Mais: não aceita que eu haja citado e extraído conclusões do que me relataram duas fontes e do que saiu em reportagem de uma das principais revistas de circulação nacional à época.

E me recriminou por não tê-lo procurado para ouvir o outro lado, como se isto fosse viável em artigos de blogueiros, muitos dos quais (meu caso) não recebem um centavo por sua atividade, nem têm como manter equipes a seu serviço.

Se tivermos de consultar, a cada texto escrito, figuras públicas que quase nunca respondem, nossa atuação será extremamente prejudicada, quiçá inviabilizada.

Afora o fato de que se trata da transposição mecânica para a internet de regras do jornalismo -- o qual, aliás, foi desregulamentado pela decisão de 2009 do Supremo Tribunal Federal.

Daí ser muito perigoso o precedente que esse caso tenta abrir: o da obrigação de blogueiros a submeterem-se a regras jornalísticas, num momento em que até mesmo as regras jornalísticas estão confusas.

Direito de resposta, p. ex., ainda está por ser restabelecido. No entanto, ofereci-o a Casoy, pois respeito as boas práticas jornalísticas, independentemente de ameaças judiciais.

Ele exigiu retratação, como se eu fosse obrigado a lhe dar um atestado de boa conduta sobre o que dele afirmaram/publicaram seus contemporâneos e eu só repeti.

Negativo, é aos historiadores e à opinião pública que ele deve apresentar sua defesa, como eu mesmo fiz, quando injustiçado a um ponto que Casoy jamais será.

E, como parece ser ao símbolo que ele tenta atingir, acionando um dentre milhares que o acusaram (até com grosserias e baixo calão, o que não foi meu caso), é como símbolo que travarei esta batalha: sem acordos, sem recuo de nenhuma espécie e percorrendo todas as instâncias necessárias para que a Justiça prevaleça.

De antemão, agradeço quaisquer apoios solidários. Há sempre riscos para um adversário do sistema quando enfrenta um favorito do sistema, por mais que a verdade e a razão estejam ao seu lado.

Então, é com os cidadãos dotados de espírito de justiça que conto para equilibrar os pratos da balança.

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Utilidade - Seleção de Profissional e Estagiários


Confira os Editais de Convocação, participe da seleção e boa sorte!



ACOPAMEC
Associação das Comunidades Paroquiais de Mata Escura e Calabetão
Centro João Paulo II - Rua São Mateus, 06, Mata Escura, CEP 41.225-190
Tele fax. (071) 3306-1817, Salvador – Bahia. E-mail: acopamec@atarde.com.br



ACOPAMEC Associação das Comunidades Paroquiais de Mata Escura e Calabetão.
SEMPRE – Setor de Emprego e Renda

CIRCULAR 1 CONVOCAÇÃO DE EDUCADOR


Salvador, 13 de Agosto de 2010


A ACOPAMEC, contratará EDUCADOR (A) na área de PEDAGOGIA para fazer parte do quadro do SEMPRE – Setor de Emprego e Renda, dentro das atribuições abaixo especificadas, no curso de Formação de Aprendizes para o Mercado de Trabalho.


Requisitos.
1. Concluinte dos cursos de Pedagogia
2. Habilidade com classes juvenis
3. Capacidade de relacionamento em equipe
4. Conhecimento em práticas pedagógicas
5. Facilidade de comunicação
6. Disponibilidade para 40 horas
7. Ter atuação em movimento social e comunitário
8. Ter tido experiência anterior em classes multisseriadas
9. Postura de liderança de classe
10. Ter atuação na condição de estagiário.

Atribuições
1. Registro de rotinas pedagógicas
2. Elaboração de programa e Plano de aula
3. Aplicação de avaliações quali-quantitativa processual e continua
4. Acompanhamento do desempenho individual dos educando.
5. Elaboração de ocorrências
6. Participação em eventos extra classe e institucionais
7. Ministrar conteúdos da Matriz Curricular toda Educação nos eixos transversal e específico.
8. Elaborar material de apoio pedagógico
9. Desenvolver Programa Político Pedagógico Especifico
10. Participação na elaboração de Relatórios

Para participar deste processo, os candidatos devem apresentar currículo contendo as informações necessárias e comprobatórias aos requisitos solicitados para a função, e encaminhá-los para o e-mail acopamec@atarde.com.br , sob o titulo Convocação, até o quinto dia útil posterior a esta publicação.


Josélia Bispo Duarte
Vice Presidente

Sérgio Machado de Santana
Coordenador Pedagógico

ACOPAMEC
Associação das Comunidades Paroquiais de Mata Escura e Calabetão
Centro João Paulo II - Rua São Mateus, 06, Mata Escura, CEP 41.225-190
Tele fax. (071) 3306-1817, Salvador – Bahia. E-mail: acopamec@atarde.com.br



ACOPAMEC Associação das Comunidades Paroquiais de Mata Escura e Calabetão.
SEMPRE – Setor de Emprego e Renda

CIRCULAR 2. CONVOCAÇÃO de ESTAGIÁRIO


Salvador, 13 de Agosto de 2010


A ACOPAMEC, contratará ESTAGIARIO(A) na área de ADMINISTRAÇÃO para fazer parte do quadro do SEMPRE – Setor de Emprego e Renda, dentro das atribuições abaixo especificadas, no curso de Formação de Aprendizes para o Mercado de Trabalho.


Requisitos.
1. Estudante do curso de Administração
2. Cadastrado no CIEE
3. Cursando a partir do quarto
4. Capacidade de relacionamento em equipe
5. Facilidade de comunicação
6. Disponibilidade para 30 horas no diurno
7. Ter atuação em movimento social


Atribuições
1. Registro de rotinas pedagógicas
2. Elaboração de Plano de aula
3. Ministrara conteúdos de Administração geral, qualidade e Logística
4. Acompanhamento do desempenho individual dos educando.
5. Elaboração de ocorrências
6. Participação em eventos extra classe e institucionais
7. Desenvolver Programa Político Pedagógico Especifico


Para participar deste processo, os candidatos devem apresentar currículo contendo as informações necessárias e comprobatórias aos requisitos solicitados para a função e encaminhá-los para o e-mail acopamec@atarde.com.br, sob o titulo Convocação, até o quinto dia útil posterior a esta publicação.


Josélia Bispo Duarte
Vice Presidente

Sérgio Machado de Santana
Coordenador Pedagógico



ACOPAMEC
Associação das Comunidades Paroquiais de Mata Escura e Calabetão
Centro João Paulo II - Rua São Mateus, 06, Mata Escura, CEP 41.225-190
Tele fax. (071) 3306-1817, Salvador – Bahia. E-mail: acopamec@atarde.com.br



ACOPAMEC Associação das Comunidades Paroquiais de Mata Escura e Calabetão.
SEMPRE – Setor de Emprego e Renda


CIRCULAR 3. CONVOCAÇÃO de 2 (DOIS) ESTAGIÁRIOS

Salvador, 13 de Agosto de 2010


A ACOPAMEC, contratará ESTAGIARIOS(AS) na área de SERVIÇO SOCIAL para fazer parte do quadro do SEMPRE – Setor de Emprego e Renda, dentro das atribuições abaixo especificadas , no curso de Formação de Aprendizes para o Mercado de Trabalho.


Requisitos.
1. Estudante do curso de SERVIÇO SOCIAL
2. Cursando a partir do quarto semestre
3. Capacidade de relacionamento em equipe
4. Facilidade de comunicação
5. Disponibilidade para 20 horas no diurno
6. Ter atuação em movimento social
7. Ter disponibilidade para pesquisa de campo e acompanhamento
8. Cadastrado no CIEE

Atribuições]
1. Registro de visitas e pesquisas
2. elaboração de Plano de monitoramento
3. Aplicação e compilação de pesquisas
4. Acompanhamento individual dos educandos
5. Elaboração de ocorrências
6. Encaminhamento extra – institucional
7. Contribuição na escuta, avaliação, diagnostico e orientação dos educandos
8. Participação em eventos extra classe e institucionais
9. Desenvolver Programa Politico Pedagógico Especifico


Para participar deste processo, os candidatos devem apresentar currículo contendo as informações necessárias e comprobatórias aos requisitos solicitados para a função e encaminhá-los para o e-mail acopamec@atarde.com.br, sob o titulo Convocação, até o quinto dia útil posterior a esta publicação.


Josélia Bispo Duarte
Vice Presidente

Sérgio Machado de Santana
Coordenador Pedagógico


ACOPAMEC
Associação das Comunidades Paroquiais de Mata Escura e Calabetão
Centro João Paulo II – Rua São Mateus, 06, Mata Escura, CEP 41.225-190
Tele fax. (071) 3306-1817, Salvador – Bahia. E-mail: acopamec@atarde.com.br



ACOPAMEC Associação das Comunidades Paroquiais de Mata Escura e Calabetão.
CEP – CENTRO DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL


CIRCULAR 4. CONVOCAÇÃO de ESTAGIÁRIO

Salvador, 13 de Agosto de 2010


A ACOPAMEC, contratará ESTAGIARIO(A) na área de PEDAGOGIA para fazer parte do quadro do Centro de Educação Profissional – dentro das atribuições abaixo especificadas ,


Requisitos.
1- Estudante do curso de Pedagogia ou Letras Vernáculas
2- Cursando a partir do quarto semestre
3- Capacidade de relacionamento em equipe
4- Facilidade de Comunicação
5- Disponibilidade para 30 horas
6- Ter atuação anterior em movimentos sociais


Atribuições
8. Registro de rotinas pedagógicas
9. Elaboração de Plano de aula
10. Ministrar conteúdos de Comunicação e Expressão em classe multisseriadas
11. Acompanhamento do desempenho individual dos educando.
12. Elaboração de ocorrências
13. Participação em eventos extra classe e institucionais



Para participar deste processo, os candidatos devem apresentar currículo contendo as informações necessárias e comprobatórias aos requisitos solicitados para a função e encaminhá-los para o e-mail acopamec@atarde.com.br, sob o titulo Convocação, até o quinto dia útil posterior a esta publicação.


Josélia Bispo Duarte
Vice Presidente

Sérgio Machado de Santana
Coordenador Pedagógico


ACOPAMEC
Associação das Comunidades Paroquiais de Mata Escura e Calabetão
Centro João Paulo II - Rua São Mateus, 06, Mata Escura, CEP 41.225-190
Tele fax. (071) 3306-1817, Salvador – Bahia. E-mail: acopamec@atarde.com.br



ACOPAMEC Associação das Comunidades Paroquiais de Mata Escura e Calabetão.
CEP – CENTRO DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL


CIRCULAR 5. CONVOCAÇÃO de ESTAGIÁRIO

Salvador, 13 de Agosto de 2010


A ACOPAMEC, contratará ESTAGIARIO(A) na área de Matemática para fazer parte do quadro do Centro de Educação Profissional – dentro das atribuições abaixo especificadas ,


Requisitos.
1- Estudante do curso de Matemática
2- Cursando a partir do quarto semestre
3- Capacidade de relacionamento em equipe
4- Facilidade de Comunicação
5- Disponibilidade para 30 horas
6- Ter atuação anterior em movimentos sociais


Atribuições
1- Registro de rotinas pedagógicas
2- Elaboração de Plano de aula
3- Ministrar conteúdos de Matemática em classe multisseriadas
4- Acompanhamento do desempenho individual dos educando.
5- Elaboração de ocorrências
6- Participação em eventos extra classe e institucionais



Para participar deste processo, os candidatos devem apresentar currículo contendo as informações necessárias e comprobatórias aos requisitos solicitados para a função e encaminhá-los para o e-mail acopamec@atarde.com.br, sob o titulo Convocação, até o quinto dia útil posterior a esta publicação.

Josélia Bispo Duarte
Vice Presidente

Sérgio Machado de Santana
Coordenador Pedagógico

terça-feira, 3 de agosto de 2010

Tubo de Ensaio 10ª Edição

O Projeto Multimídia Tubo de Ensaio recebe o reggae envolvente da Banda Parto Natural e o Pop Rock da Banda Homo Decadentis no palco do Cine-Teatro Plataforma no dia 22 de agosto às 17 horas. Com ingressos a R$ 2,00, o projeto traz também videoclipe, poesia e brindes.

http://eunotubodeensaio.blogspot.com/


LOCAL: Cine-Teatro Centro Cultural Plataforma

TEL: 71 3117-8106

DATA: 22 de agosto de 2010

HORÁRIO: 17:00

INGRESSO: R$2,00

PRODUÇÃO: IC3

sexta-feira, 30 de julho de 2010

sexta-feira, 23 de julho de 2010

Tubo de Ensaio Making off

video


Projeto Multimídia
Tubo de Ensaio

Mais 1 protesto


O BARATO SAI CARO.....

A solenidade de formatura é um momento sublime em que o formando, a família e os amigos criam expectativas antes e durante a cerimônia, por esse motivo é necessário a escolha de uma empresa que tenha propostas comprometidas com a transparência, objetividade e qualidade dos seus serviços. Essa deveria ser a estrutura básica para o funcionamento desse tipo de serviço.

Assim gostaria de alertar aos futuros formandos que desejam realizar uma solenidade de formatura, que busquem conhecer as empresas que prestam esse tipo de serviço. Pois tive uma experiência bastante negativa com a empresa “PRISMA EVENTOS”, e o barato acabou custando caro, a empresa ofereceu um pacote de serviços por um preço acessível e ainda propôs dividir em dez parcelas fixas. Porém para minha surpresa a Prisma não evidenciou que as quatro ultimas parcelas seriam acrescidas sob alegação de que a empresa precisaria cobrir custos com os boletos bancários expedidos, outro agravante é que no momento de assinar o contrato a mencionada empresa apenas sugere uma forma de pagamento e não oferece outra maneira tais como: (depósito em conta ou cartão de crédito), além disso a empresa também não tem o controle dos pagamentos efetuados pelo boleto. A Prisma colocou as seguintes condições emitiu 04 (quatro) boletos das primeiras parcelas, 02 (dois) pagamentos avulso na sede da empresa e mais 04 (quatro) parcelas acrescidas de R$ 8,00 (oito reais), ou seja, você paga as quatro primeiras parcelas como valor normal estabelecido durante a assinatura do contrato, depois paga duas parcelas no escritório da empresa, quando chega próximo da data do evento vem a surpresa maior, o cliente paga as quatro ultimas parcelas acrescidas de oito reais, não restando outra alternativa, pois a data da solenidade já está próxima e seria um transtorno não aceitar essa condição imposta.

Bom, essas são as surpresas antes do evento, durante o evento a empresa possui poucos recursos para atender as necessidades básicas do cliente, o número de fotógrafos é insuficiente causando transtornos para o formando e seus convidados. A empresa disponibilizou um camarim no qual foi disponibilizado água, uísque, refrigerante e vinho para os formandos, foi proposto um brinde com toda a turma, porém não houve, pois os organizadores da empresa não conseguiram reunir todos para fazer a foto, além disso, a pessoa que estava à frente da organização do evento mostrou-se bastante stressada devido à quantidade de convidados que estavam presentes na solenidade.

Durante o evento solene, enquanto estávamos sentados nos assentos reservados aos formandos tivemos apenas um copo de água e lenços de papel, durante as três horas de duração do referido evento. Na entrega do diploma a pessoa responsável pelo som não conseguia encontrar a música escolhida pelo formando no momento da colação de grau, fato que este que causou um clima de angustia e tensão para muitos. Somente depois de algum tempo o funcionário da empresa conseguiu regularizar a situação.

Ficou acordado que as becas alugadas pela empresa poderiam ser devolvidas no final da solenidade ou no dia seguinte que se tratava de um sábado, é válido ressaltar que no sábado a empresa só funciona até as 12h00, mas continuando a situação da devolução da beca, a Prisma eventos se propôs a receber as becas de volta no final da solenidade de formatura, porém pouquíssimos formandos conseguiram tal façanha, uma vez que os funcionários da referida empresa sumiram em tempo record após o termino do evento. Desta forma no dia seguinte liguei para a empresa e fui informada que caso não entregasse a beca naquele dia, seria multada com o valor de R$ 100,00 (cem reais) ao dia, ou seja, depois de todo o desgaste e cansaço da solenidade, fui obrigada a me deslocar até o escritório da empresa, o que me causou mais cansaço e stress.

Enfim, diante de toda essa realidade é importante observar e pesquisar bastante antes de fechar contrato com uma empresa de eventos, pois as facilidades e os preços acessíveis podem trazer um prejuízo emocional e um transtorno irreparável uma vez que depois de realizado o evento não há como voltar no tempo, e o barato acaba saindo caro.





quarta-feira, 21 de julho de 2010

Cursos Livres - Fundação Clemente Mariani

História e Etnia

Release

PROJETO CURSOS LIVRES 2010 / Cedic-BA


A Fundação Clemente Mariani através do Cedic-BA promove a 3ª Edição dos Cursos Livres 2010, cujo tema é: História e Etnia, a ser ministrado pelo Professor Doutor John Monteiro. A proposta do projeto está relacionada com as atividades científicas na área de Ciências Humanas, que busca difundir a sua produção entre a comunidade acadêmica. Maiores informações no telefone (71) 3243-2666.

INSCRIÇÃO: de 26 de junho a 9 de agosto de 2010

LOCAL: Rua Miguel Calmon, nº. 398 - Comércio.

TEL: 71 3243-2666

CURSO: História e Etnia

PALESTRANTE: John Manuel Monteiro da UNICAMP (Especialista em história indígena, com vasta experiência em pesquisa documental nas Américas, Europa e Índia).

DATA: 16 a 20 de agosto

HORÁRIO: 14:00 às 18:00

INVESTIMENTO: R$ 30,00

PRODUÇÃO: Fundação Clemente Mariani e Cedic-BA



segunda-feira, 5 de julho de 2010

Será que sediaremos a Copa do Mundo?


Salvador está vivendo um clima de angustia, pois a cidade atualmente beira o caos, falta infra-estrutura, projetos viários que desafoguem o tráfego, um transporte de massa de qualidade e eficiente, hospitais, centros de convenções, ginásios de esportes qualificados, projetos sociais, desenvolvimento econômico que distribua renda e amenize a desigualdade social que paira sobre a população soteropolitana, educação de qualidade, apoio a cultura e lazer, e outros fatores que contribuem para a qualidade de vida de uma cidade e seus habitantes. Com todas estas deficiências em menos de quatro anos encontrar soluções imediatas para sanar problemas que se arrastam ao longo do tempo, passando por diversas más administrações da cidade e interesses escusos de uma minoria dominante, se torna algo extremamente complicado de planejar, gerenciar e executar. Não acredito que Salvador esteja preparada pra sediar um evento de tal magnitude como a “Copa do Mundo”, tenho severas críticas às gestões passadas, porém esta administração atual é inoperante e só confirma e testifica aquilo que “os filhotes da ditadura” fizeram no passado, subtrair, dividir, explorar, sugar e superfaturar; pois para os políticos dinossauros da nossa cidade a copa é um prato cheio para solicitar verbas do governo federal, adquirir empréstimos, endividar os cofres públicos e largarem a conta em nossas mãos. Podemos até receber melhorias e benefícios em função do evento, porém os nossos gestores ofereceram a nossa alma como pagamento da dívida e crédito, e farão os nossos bolsos sangrar por várias copas e jogos olímpicos.

sábado, 22 de maio de 2010

Montanha Russa!!!


As mentes ocas de hoje perpetuarão as mentes vazias de amanhã, a inércia que paira sobre a nossa juventude, contradiz a essência dos nossos ancestrais que aqui lutaram por um ideal, pois foi aqui na Bahia que tudo começou; a independência, a cultura, a revolução, a resistência, porém hoje só vemos a mobilização em prol do divertimento e entretenimento, o individualismo e a falta de consciência das pessoas é algo tão grotesco que muitos encaram como algo dentro da normalidade de um cotidiano fugaz e banal. Mas é isto aí meus caros soteropolitanos, vamos continuar a farra alheia e descuidar do que é nosso, pois eles estão de olhos, enquanto vós continuam cegos.

Parabéns ao C.Q.Q por mais uma excelente matéria do Proteste Já!!!

Viva a montanha russa baiana!!!

quarta-feira, 12 de maio de 2010

Não queremos somente anistia...



Lei de anistia: brilharam pela ausência as vítimas e seus direitos

Luiz Flávio Gomes*

Por 7 votos a 2 o STF, nos dias 28 e 29 de abril de 2010, decidiu manter intacta a lei brasileira de anistia (Lei 6.683/1979 - clique aqui). Foi rejeitada a ação de Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental - ADPF 153 (clique aqui), proposta pela OAB, que pretendia o reconhecimento de que a lei não teria perdoado os torturadores do regime militar. Na decisão do STF brilharam pela ausência:

1. o respeito e o alinhamento com a jurisprudência e o direito internacionais. O julgamento do STF foi eminentemente legalista - só focou uma única fonte do direito: a lei - (ressalva deve ser feita ao voto de Lewandowsky, que tem formação internacionalista). Ignorou por completo todas as cobranças da ONU (que desde 2001 pede a revisão da lei de anistia brasileira, para permitir a punição dos torturadores da ditadura militar) assim como a jurisprudência da Corte Interamericana de Direitos Humanos, que vem declarando a invalidade de todas as "autoanistias" (leis de anistia aprovadas pelo próprio regime de exceção), no que diz respeito aos crimes contra a humanidade (crimes cometidos por agentes de um regime de exceção não são comuns nem políticos: são crimes contra a humanidade) (cf. casos Almonacid Arellano y otros vs. Chile, Barrios Altos etc). No caso Goiburú ficou consolidado o seguinte:

(a) os Estados têm a obrigação de investigar e punir esses crimes;

(b) cuida-se de obrigação que emana das normas de jus cogens;

(c) trata-se de delito de execução permanente (até que se descubram os corpos).

Sendo delitos permanentes, não se inicia a contagem da prescrição enquanto essa permanência não cessa, uma vez que a permanência se dá "enquanto seus autores continuem ocultando o destino e o paradeiro da pessoa desaparecida e enquanto os fatos não forem esclarecidos".

2. o diálogo entre todas as fontes do direito (Erik Jayme, Mazzuoli etc.): a decisão do STF foi equivocada (do ponto de vista internacional) justamente porque não considerou todas as sete fontes do direito (leis, códigos, constituição, jurisprudência interna, tratados internacionais, jurisprudência internacional e direito universal). A jurisprudência da CIDH foi totalmente desconsiderada. O ius cogens (criado inclusive pela ONU) foi ignorado. Só resta agora aguardar a decisão da CIDH (que deve sair ainda neste ano) no caso Araguaia (espera-se a condenação do Brasil pela impunidade dos crimes contra a humanidade).

3. o respeito (amplo, geral e irrestrito) aos direitos das vítimas: dentre eles está o direito à verdade, que representa uma parte do direito à Justiça, que se completa quando os autores (dos crimes contra a humanidade) são punidos, as vítimas indenizadas e os valores da justiça e da dignidade são restabelecidos. A CIDH, a propósito, no caso “La Masacre de Mapiripán contra Colômbia”, deixou sublinhado que constitui dever imperativo do Estado o de remover todos os obstáculos fáticos e jurídicos que possam dificultar o esclarecimento judicial exaustivo das violações perpetradas (CIDH, 15/9/05).

4. as próprias vítimas (e/ou seus familiares): ressalvando-se honrosas e pouquíssimas exceções, onde estão as vítimas (e/ou seus familiares) dos torturadores? Por que não protestaram? Por que não fizeram passeata (que é um legítimo instrumento da democracia)? Dia 24/4/10, em Madrid, quase 100 mil pessoas protestaram em favor do Juiz Garzón e contra a impunidade dos delitos da época do General Franco. E no Brasil? O relator do caso, Min. Eros Grau, foi vítima da ditadura e paradoxalmente votou pela impunidade dos torturadores. E as outras vítimas? Na mídia não se registrou (s.m.j.) um único movimento delas (ou seja: faltou visibilidade para elas e para a defesa dos seus direitos). No julgamento do STF, com exceção dos Ministros Lewandowsky e Aires Britto, não se viu compaixão com as vítimas.

Comissão Nacional da Verdade: vários votos (que perdoaram os agentes da ditadura) foram favoráveis à descoberta da verdade dos fatos (Eros Grau, Celso de Mello etc.). Essa Comissão, que será criada em breve (espera-se), assim como a abertura dos arquivos da ditadura farão bem para todo mundo. Impõe-se o conhecimento da dimensão das graves violações aos direitos humanos (a começar pelo caso Riocentro), configuradoras de verdadeiros crimes contra a humanidade, que estão acima de eventuais leis de anistia, de regras internas de prescrição ou mesmo de sentenças favoráveis aos seus autores (CIDH, caso Velázques Rodríguez).