sexta-feira, 23 de maio de 2008

O que será do amanhã?

O nosso cenário político vem desdobrando nos últimos tempos uma guerra psicológica por trás dos bastidores, o mais interessante é que como a população não conhece a fundo a história da sua própria nação, situação que os mesmos políticos de hoje e de ontem proporcionaram a nossa memória e registros históricos, então fica difícil perceber as manobras e joguetes que se camuflam como ações democráticas. Pense rápido, quem foi o nosso primeiro presidente eleito pelo povo que concluiu o seu mandato? Fernando? Sim, mas qual dos Fernandinhos? Não foi Collor, pois este foi impeachmado, sobrou então o que inventou o infalível “plano real” e controlou a inflação, pois este foi o marketing do seu governo... FHC. Pois é, este aí reinou por duas vezes em nosso país e serviu aos propósitos direitistas e elitistas da sociedade burguesa, depois dele tivemos o nosso segundo presidente de base política esquerdista e socialista no poder, pois o primeiro foi Jango, isso mesmo João Goulart, antes do golpe de 64 em 1º de abril, não existe melhor data como esta para evidenciar os nossos livros de história com os seus heróis e vilões, mas continuando com o nosso segundo presidente, aliás, primeiro presidente socialista a concluir um mandato, este aí não foi deposto e inclusive vem tentando concluir o seu segundo mandato, Luís Inácio Lula da Silva, será que ele é um abre alas da esquerda para a implantação do poder? Há quem acredite nisto veementemente, senão não se dariam ao trabalho de minar as forças esquerdistas e tentar destruir a sua imagem, pois será que o criador do mensalão seria mesmo José Dirceu? Uma faceta que existe desde o século passado no nosso país pode ser atribuída a uma pessoa que chega no poder em pleno século XXI? E agora tão tentando queimar a imagem de Dilma Rousseff, por quais serão os motivos já que tudo isto que tem se debatido está vindo somente hoje ao conhecimento público?

Então vamos tentar entender as estratégias políticas adotadas. Acredito que a resposta está no histórico e perfil de militantes que chegaram ao poder, mas não como simples políticos e ex-militantes, mas sim como guerrilheiros no período de horror criado pela ditadura no século passado que não está tão distante assim da nossa história, mas pouco se tem registrado sobre esta temática. Será que para a direita seria interessante que os registros fossem ao conhecimento público? Pois é, então fica claro que para eles não é muito interessante que um ex-guerrilheiro (a) ou terrorista, assim intitulados naquele período, chegue ao poder como candidato a presidência da república e tão pouco se tornem eleitos.

2 comentários:

Xan Sobral disse...

Pois é meu caro El Lamarca. Se está situação é a nível nacional, imagine como não anda por aqui nesta terra de Oxum. Para quem não acompanha a vida política da cidade basta saber que o prefeiturável Varelão tentou se unir a Imbassahy. Mas nesse vai e vem de "alianças" e partidos, bem como fidelidade partidária, esquceram de pedir a benção ao presidente do partido de Varelão (PRB) e ao nosso Vice-Presidente da República. Fazer o quê? Voltar com o rabo entres as pernas e tentar costurar novas alianças.
Cabe a nós, abrir bem os ouvidos e não esquecer o passado,pois até o dia 5 de outubro muito dendê vai rolar.
Forte Abraço,

marcio disse...

Boa materia para exercitar a memoria bahiana e brasileira , esperamos que sirva tambem de reflexao para as proximas eleiçoes .