segunda-feira, 19 de maio de 2008

PUBLICIDADE NA BAHIA PARA quê?

Vem cá rei. Diga sério, na moral. Vale a pena ser publicitário aqui nessa terra de todo mundo?
Pode ser discurso de alguém que não conseguiu entrar nesse ramo? Pode.
Mas não é! Há alguns anos, eu e milhares de pessoas entramos na Universidade e “F’s” da vida para realizar um sonho, um desejo, e pra quê?
Fomos sugados pela beleza da profissão, pela afinidade, pelos cases. Enfim, fomos atrás de nossos sonhos.
Não adiantou ver o grande Duda se melar todo no mensalão. Sabia que aquilo era da pessoa Duda e não do publicitário renomado e premiado.
Não adiantou ver a publicidade brasileira deixar de ganhar vários prêmios em Cannes.
Adiantou sim,ver Nizan Guanaes, outro baiano, mas não publicitário de formação, crescer cada vez mais e criar o grupo ABC.
Isso tudo acabou sendo combustível que alimentou um sonho.
E sonhar é bom...

E, voltando à vida real, será que vale a pena pagar em média R$ 800,00/mês de mensalidade para quiçá conseguir um estagiozinho? Ou depois de formado, colocar currículo aqui, ali e acolá, em tudo que é site de emprego, falar com seu network e receber uma proposta de trabalho para “trampar” das 9 às 18h por R$ 400,00 ? Vale a pena? Não dá para pagar nem a Pós – Graduação, nem cursos de línguas. Visto que a graduação na vale mais nada nesse mercado feroz.
Realmente a cada dia fica mais difícil tentar entrar nesse “bendito” mercado publicitário.
Trabalhar em agência? Esqueça...São poucos que têm “QI” e ainda não é segurança nenhuma. Na primeira conta perdida você está na fila.
Trabalhar em empresa privada em alguma área de comunicação? Falta a bendita experiência e ninguém dá oportunidade.
Apesar de tanta dificuldade, tanto desafio, tanto “perrengue” e desânimo vou continuar lutando e tentando entrar nesse mercado miserável e adorável.
Parece mulher RUIM! A cada dia me apaixono mais. Se bem que as mulheres BOAS também são adoráveis, belas e sutis.

Bom, vou tentando, debatendo, brigando e dialogando com vocês até achar um “trampo” de vez.

Forte abraço!

Inté +,
Xan


3 comentários:

bqbs disse...

É verdade que o mercado publicitário na Bahia é muito fechado, e que as poucas oportunidades ficam para quem tem QI. Só que não precisa se formar para saber disso, já é de conhecimento geral que determinadas áreas de atuação são mais complicadas que outras, ir atrás dos sonhos e das afinidades é muito louvável, mas no mercado atual a escolha a ser feita é emprego garantido + bom salário + fazer o que não gosta ou fazer o que gosta + desemprego + salário baixo, são poucos os que conseguem fazer uma matemática diferente, e esses normalmente tem um grande QI.

Caio Araujo. disse...

uma grande verdade isso que vc diz...
achei seu blog muito por acaso, procurando artigos sobre a mesma (publicidade Baiana).
De fato somos (digamos assim) um "talento desperdiçado" ou pelo menos esforço.
A relação comercioXcomunicação não nos favorece muito, afinal o 1º corte em qualquer empresa é no setor de comunicação.

Ler disse...

Realmente o mercado publicitário é muito restrito, mas o que seriamos se não publicitários?